NASA começa a trabalhar em motor de dobra

NASA começa a trabalhar num motor de dobra de verdade!!!

por Contra Almirante Marc Seven  |  Setembro, 7 de 2012
warp-speed-1Pode ser que ter a experiencia de Star Trek ainda na nossa geração já não seja mais uma possibilidade remota. Estas são as palavras do Dr. Harold “Sonny” Branco , o lider dos temas de propulsão avançada da NASA quando se reportou a Direção de Engenharia. Dr. White e seus colegas não apenas acreditam que um motor de dobra na vida real é teoricamente possível, eles já começaram a trabalhar para criar um.

Sim. Um motor de dobra de verdade, Scotty.

Quando se trata de exploração espacial, ainda somos homens das cavernas. Nós chegamos à Lua e mandamos alguns robôs da pesada pra Marte. Nós também temos as portas automáticas que se abrem quando você chega perto delas, mas é só isso. É legal, mas estamos longe de ser a civilização espaço que precisamos ser para que possamos sobreviver nos proximos milênios.

Com nossas tecnologias de propulsão atuais, vôo interestelar é impossível. Mesmo com a tecnologia experimental, como propulsores de íons ou naves explodindo bombas atomicas na cauda, seria necessário quantidades enormes de combustível e de massa para chegar a qualquer estrela próxima. E pior: ela vai exigir de décadas até mesmo séculos, para chegar lá. A viagem será inútil para os que ficam. Apenas os que vão para a frente em busca de um novo sistema solar seria apreciar o resultado do esforço colossal. Simplesmente não é pratico.

Então precisamos de uma alternativa. Uma que nos permita viajar extremamente rápido, sem quebrar as leis da física. Ou como Dr. White coloca: “queremos ir, muito rápido, ao observar o décimo primeiro mandamento : Não excederás a velocidade da luz. ”

 

Em busca de bolhas de dobra
A resposta reside precisamente nas leis da física. Dr. White e outros físicos descobriram brechas em algumas equações matemáticas, brechas que indicam que a dobra do espaço-tempo é realmente possível.

Trabalho na NASA Eagleworks -uma operação em varios grupos sigilosos e profunda no Johnson Space Center da NASA-Dr. A equipe do Dr. White está tentando encontrar provas dessas lacunas. Eles “começaram a trabalhar num interferômetro em um banco de ensaios que vai tentar gerar e detectar um exemplo microscópico de uma pequena bolha de dobra“, usando um instrumento chamado Interferômetro de Campo de Dobra White-Juday .

Pode parecer uma coisa pequena agora, mas as implicações da pesquisa são enormes. Em suas próprias palavras:

Embora este seja apenas um exemplo pequeno dos fenômenos, vai ser a prova de existência para a idéia de perturbar o espaço-tempo é um momento como aconteceu com a “pilha de Chicago“, o primeiro reator nuclear construido no mundo. Lembre-se que dezembro de 1942 viu a primeira demonstração de uma reação nuclear controlada que gerou um espantoso meio watt. a existencia dessa prova foi seguida pela ativação de um reator de quatro megawatts em novembro de 1943. Prova de existência para a aplicação prática de uma idéia científica pode ser um ponto de inflexão para o desenvolvimento de tecnologia.

Através da criação de uma destas bolhas de dobra, o motor da nave irá comprimir o espaço à frente e expandir o espaço por detrás, movendo-o para um outro lugar sem mover e carregar nenhum dos efeitos adversos dos métodos de viagem mais rapida que a luz. Segundo o Dr. White, “aproveitando a física da inflação cósmica, naves espaciais futuras criadas para satisfazer as leis destas equações matemáticas podem realmente ser capaz de chegar a algum lugar inimaginavelmente rápido e sem efeitos adversos.

Ele diz que, se tudo for confirmado nos experimentos práticos, seremos capazes de criar um motor que vai nos levar a Alpha Centauri “em duas semanas, como medida por relógios aqui na terra.” O tempo será o mesmo na nave e na Terra, ele afirma, e não haverá aquela “maré de forças fisicas dentro da bolha, sem problemas indevidos, e a aceleração adequada lá dentro será zero. Ao ligar o campo, ninguem será jogado contra a parede pela aceleração, o que tornaria essa viagem muito curta e triste. ”

 

O problema da energia, resolvido
Havia apenas um problema com tudo isso: de onde a energia vem? Embora soubéssemos que propulsores de dobra são teoricamente possíveis, os físicos sempre argumentaram que exigiriam uma bola de matéria exótica do tamanho de Júpiter para ligá-lo. Claramente, não era prático. Mas, felizmente, o Dr. White encontrou uma solução que muda o jogo completamente.

A equipe Eagleworks descobriu que os requisitos de energia são muito menores do que se pensava anteriormente. Se eles otimizarem a espessura da bolha de dobra e “oscilar sua intensidade para reduzir a rigidez do tempo-espaço”, eles seriam capazes de reduzir a quantidade de combustível a uma quantidade gerenciável: em vez de uma bola do tamanho de Júpiter de matéria exótica, você só vai precisar de 500 kg para “enviar uma bolha de 10 metros de diametro (32,8 pés) a uma velocidade efetiva de 10C.”

Dez c! Isso é 10 vezes a velocidade da luz, pessoal! (lembre-se, a própria nave não iria mais rápido que a velocidade da luz. Mas efetivamente parece que ela vai conseguir).

Isso significa que seriamos capazes de visitar Gliese 581g, um planeta parecido com a Terra 20 anos-luz de distância do nosso planeta em dois anos . Dois anos não é nada. Levou três anos para o Magellan circunavegar em torno de nosso planeta a partindo em agosto 1519 e chegando em setembro de 1522. Quatro anos ida e volta para ver um planeta como a Terra é completamente factível. E há destinos ainda mais proximos onde se pode enviar robôs ou astronautas.

O importante é que existe agora uma porta aberta para um tipo diferente de exploração. Que, como o Dr. White diz, Pode ser que ter a experiencia de Star Trek ainda na nossa geração já não seja mais uma possibilidade remota. Podemos estar testemunhando o início de uma nova era de exploração espacial , que iria finalmente levar-nos de nosso pálido ponto azul de volta para onde nós pertencemos .

Eu não sei quanto a você, mas eu estou mais animado do que quando o Capitão Kirk conseguiu sua primeira de inobtonanium.

 

FONTE: GISMODO / FFESP

 

Tradução: Contra Almirante Marc Seven

Anúncios

6 comentários em “NASA começa a trabalhar em motor de dobra

  1. Seria bom ao menos mencionarem na reportagem o nome do Dr. Miguel Alcubierre, mexicano com doutorado em Cambridge/UK, quem demonstrou ser possível dobrar o espaço-tempo e ser possível, teoricamente, tais viagens. A NASA está fazendo um trabalho de testes para comprovação das equações demonstradas, com todo rigor matemático, pelo Dr. Alcubierre.

    • Bem lembrado! Lembro que apareceu cientistas com o: ” precisa de uma massa do tamanho de jupiter…” entre outros pessimistas, o legal mesmo eh que o dr Sonny vai tentar reproduzir em Laboratorio a existencia do fenomeno. Entretanto quem sabe os russos deixem o mundo estarrecidos anunciando daqui algum tempo, primeiro voo teste com nave nao tripulada as fronteiras do sistema solar em 20 minutos, um evento similar a missao do sputnik.

  2. Pingback: Como a NASA poderá construir o primeiro motor de dobra espacial - Noticias em tempo real

  3. Pingback: Como a NASA poderá construir o primeiro motor de dobra espacial, mais rápido que a luz - Noticias em tempo real

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s